terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

[ Resenha ] Por lugares Incríveis - Jennifer Niven



Livro: Por lugares incríveis
Autora: Jennifer Niven
Ano de publicação: 2015
Páginas: 336
Editora: Seguinte
Gênero literário: Ya/Drama, Literatura Estrangeira
Nota: 5/5

Sinopse:
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

 Resenha e impressões pessoais:

 A leitura foi realizada pelo Clube do Livro no Whatsapp organizado pela Khetlyn Provenzi do ig @orelhasdelivros.
 Livro lido no Kindle, mas pretendo comprá-lo físico em breve.
 O livro me encantou e emocionou.
 Theodore Finch é um dos personagens principais junto com a Violet Maekey. É um garoto depressivo, embora o levem sempre como louco ou meio problemático e conhecido como " Aberração" no colégio, mas ele quer apenas se encaixar em algo, achar um sentido pra sua vida e o vazio que leva dentro de si.Tem um coração lindo. É obcecado pelo tema" morte".

"Aprendi que existem coisas boas no mundo se você procurar por elas. Aprendi que nem todo mundo é uma decepção, incluindo eu mesmo."


  Apesar de tanta dor, procurava mostrar a Violet que ela deveria seguir em frente, que ela não teve culpa pela morte da irmã e não deveria continuar se martirizando.

"Conheço a vida bem o suficiente para saber que não podemos acreditar que as coisas vão ser sempre iguais, não importa o quanto a gente queira. Não podemos impedir que as pessoas morram. Não podemos impedi-las de ir embora. Não podemos impedir nós mesmos de ir embora."

"Agora tudo o que vejo é uma garota morrendo de medo de viver. [...] Você precisa retomar as rédeas. Ou vai ficar em cima do parapeito que construiu para si mesma para sempre."


 Finch gostava de pensar e viver como se tivesse apenas mais dois dias de vida e queria que Violet vivesse sem pensar no amanhã, percebesse isso e que fizesse tudo o que tem vontade sem se importar com os outros, porque a vida é muito curta pra desperdiçar.

 Violet, assim como eu, ama escrever e foi uma das coisas na personagem que me cativaram.

 "Amo o meu quarto. O mundo é melhor aqui do que lá fora., porque aqui sou o que eu quiser. Sou uma autora brilhante. Posso escrever cinquenta páginas por dia e nunca fico sem palavras." 

 Violet era da turminha dos populares da escola, até pouco antes da morte de sua irmã. Mas não contava em conhecer Finch e que dali em diante sua vida e o modo de enxergar as coisas mudariam.
 Outro fato que chama a atenção é sempre abordar assuntos como depressão, suicídio, violência doméstica, bullyng.
 Me impressionou a maneira com a qual fora abordados temas cotidianos e dos quais a maioria não gosta de falar, se expor ou não procurar ajuda porque é vergonhoso, por ter medo, por achar que as pessoas não entenderiam.
 Em vários momentos do livro são deixados lições de que não podemos afundar na tristeza apesar dos pesares e perdas, que há uma saída e que mesmo com aquela dor, saudade, depressão sempre haverá dias melhores.
 Ah!Não deixe de ler as notas da autora no fim do livro e se emocionar mais ainda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário