quarta-feira, 20 de junho de 2018

[ Resenha ] O Bosque de faias de Amanda Bonatti



Ano: 2018 
Páginas: 484
Editora: The Books

Onde adquirir o ebook: Amazon
Onde adquirir o livro físico: www.thebookseditora.com.br


[ Sinopse ]


Joana é uma jovem francesa criada no seio de uma família pertencente à burguesia do século XIX. Ela luta pelo seu direito de liberdade; no entanto, em uma época em que os pais ditavam as regras e firmavam acordos nupciais unicamente baseados em dotes e interesses, ela precisará usar de toda a sua força e rebeldia para alcançar o que quer.
.
.
.
Saiba mais:
Joana é uma jovem francesa do século XIX, criada no seio de uma família pertencente à burguesia. Seu pai, Frederico Hour, é proprietário de algumas terras da região, e embora a família viva confortavelmente, ele busca através do casamento das filhas, uma maior posição social.
No entanto, Joana, a sua filha mais velha, se recusa a aceitar qualquer casamento arranjado. Ela anseia por sua liberdade em escolher seu par e também sobre o momento em que isso irá ocorrer. Porém em uma época em que os pais ditavam as regras e firmavam acordos nupciais unicamente baseados em dotes e interesses, ela precisará usar de toda a sua força e rebeldia para alcançar o que quer.
Vivendo sempre em conflito com a família e com a irmãs (que anseiam pelo casamento da irmã mais velha para que também possa chegar a vez delas), Joana vai constantemente até o bosque de faias, onde refugia-se para ler, pensar, ou simplesmente fugir daquela pressão em que vive na sua casa.
Se de um lado o coração de Joana clamará para que abandone o orgulho e dê uma chance para o amor; por outro lado, a dúvida, pressão e as conveniências sociais a empurrarão cada vez mais para um casamento sem amor.
O bosque de faias é um romance forte, que além de contar uma linda história de amor, resgata uma época histórica e todas as questões sociais da burguesia francesa no século XIX.


[ Resenha ]


A Família Hour constituída por Frederico Hour (Pai), Anastacia Hour(Mãe) com as 4 filhas Joana, Sophie, Amália e Rebeca é onde tudo começa. Uma família tradicional para a sua época.
 Sr. Hour sempre quis o melhor para as filhas e tenta a todo o custo casar a sua primogênita Joana, pois como manda a tradição e os bons costumes, a mais velha deve se casar primeiro. Joana se nega a casar com os pretendentes arranjados pelo Pai o que gera desconforto e cenas hilárias onde a mesma acaba convencendo os pretendentes de que não é a esposa ideal e submissa que procuram.
 Joana me cativou desde o primeiro momento com o seu jeito de ser e seus ideais que são totalmente o oposto de seus pais e de sua época. É uma revolucionária! 


"Nos livros a realidade se mostrava sem 
disfarces, sem devaneios e ilusões tolas. Talvez por isso os melhores eram proibidos, e era um desses que Joana tinha nas mãos e que fazia seus olhos arderem por quase esquecer de piscá-los."


"Joana não sabia como reagir, todo o seu corpo parecia ter vida própria e ela já não conseguia comandar aquela agitação que fazia tremer o seu interior de uma forma que não sabia que era possível."


 Phillip incumbio seu amigo Alexandre Franz a organizar seu novo lar, pois recebeu uma quantia em dinheiro e uma mansão como herança de um tio que falecera e por causa de problemas pessoais solicitou ajuda a seu amigo para tratar de cuidar de tudo antes de sua chegada, porque confia muito em Alexandre que tem como a um irmão. 
 Alexandre então contrata empregados e assim como ficou responsável, a entregar os convites do Baile que será realizado na mansão como boas vindas e uma forma de conhecer as famílias locais, pois Phillip está em idade de casar. Em meio a um passeio na cidade com o intuito de entregar os convites, conhece a família Hour, mas eis que ocorre um mal entendido de acharem que ele era o próprio Phillip, confusão essa que a própria matriarca Anastacia Hour começou, o que foi hilário também, porque não deixava o coitado do Alexandre esclarecer em todas as vezes que se encontraram. Várias vezes fiquei numa aflição imensa por ele não conseguir resolver o mal entendido. No meio disso reconheceu Joana, a garota que não saiu de seus pensamentos desde que pisara naquelas terras, mas precisamente no Bosque cheio de Faias, onde se encontraram pela primeira vez em uma coincidência ou destinos cruzados. Aquela garota um tanto irônica e arredia lhe despertara algo profundo, mas inexplicável.



"Nunca encontrei nenhuma moça que despertasse em mim essa... sensação. O poder que a senhorita exerce sobre mim é algo que ainda não consegui decifrar. É tão perturbador e tão maravilhoso ao mesmo tempo..."


 Joana ao reconhecer o Sr Phillip (Alexandre) em sua residência, ficou um pouco estática com o encontro, pois jamais imaginaria que o mesmo homem que avistou dias antes e atrapalhou seus devaneios em seu refugio particular, retornaria  a aparecer e ainda mais como um suposto pretendente a casamento.


"Se o amor exige mudanças, se o amor traz alvoroço e inconstância, ainda assim será amor, ainda assim poderá resistir à tempestade."


 Eu amei esse livro e foi o único livro de romance de época que consegui finalizar esse ano e que me prendeu! Muitos sabem a dificuldade que tenho com esse gênero.
 A História é muito boa e envolvente! Além da confusão mencionada, a mesma acaba dando abertura para intrigas, falsidade, mentiras, triangulo amoroso, traição o que tornou a obra chamativa.
 Os personagens, até mesmo os secundários, foram muito bem desenvolvidos ao longo de toda a história com suas personalidades e maneiras quase palpáveis, o que deu muita realidade. Odiei a Sophie e por vezes senti pena da Caroline por ter tanto amor a oferecer e mendigar tanto afeto.
 Eu não teria como dar uma nota menor que 5, pois a autora soube muito bem como chamar atenção desde o princípio e a sabedoria em colocar cada personahem na trama. O final acabou sendo o que eu esperava, mas não menos atrativo ou fascinante. É um romance suave, mas cheio de emoções e está favoritado!
 Sou muito grata a Editora pela parceria e a oportunidade de conhecer mais obras nacionais.
Nota: 5/5 🌟🌟🌟🌟🌟

Um comentário:

  1. É imensa a minha alegria ao saber que você gostou, amou, favoritou! Que se divertiu e se emocionou. Obrigada pela resenha linda, pela parceria com a editora! Vou acompanhar o blog, com certeza. Beijos

    ResponderExcluir